É necessário lesionar para rejuvenescer?

É fato que a única verdade absoluta que poderíamos aceitar na ciência é que não existe uma verdade absoluta, portanto sempre iremos optar por uma linha de tratamento em que acreditamos ser mais eficaz, e nesta me deparei com a umas publicações sobre rádio frequência, peeling e rejuvenescimento.

No levantamento apresentado por Aston (2022) ele afirma que por várias décadas, a operação de lifting facial tem sido o padrão ouro para avaliar procedimentos de rejuvenescimento facial. Na maioria das vezes, discussões e opiniões entre os cirurgiões de facelift relacionam-se com a melhor forma de gerenciar o sistema musculoaponeurotico superficial e o músculo platysma para entregar o melhor resultado estético.

O excesso de pele pode ser removido, e o volume adicionado por gordura ou preenchimentos para melhorar a aparência desejada de rejuvenescimento. No entanto, não existem técnicas de levantamento facial que proporcionem qualquer rejuvenescimento da pele do rosto e pescoço.

O interessante é que ele afirma que procedimentos auxiliares como dermabrasão, cascas químicas e lasers ablativos não rejuvenescem a pele. Na verdade, todos eles são tecnicamente destrutivos para a pele.

A tecnologia avançada de radiofrequência (RF) proporciona rejuvenescimento biológico da pele estrutural. O aquecimento controlado permite o aperto imediato da hélice tripla de colágeno por uma quebra de ligações de hidrogênio no colágeno, causando encolhimento da estrutura normal de colágeno, bem como indução da cascata curativa, levando à neocollagênese, remodelação de elastina e angiogênese durante os 3 meses seguintes. Assim, a aplicação do calor aperta a rede fibroseptal e serve para contrair a pele uniformemente.

Austin (2022) publicou uma revisão sistemática avaliando a eficácia e a segurança da radiofrequência para rejuvenescimento facial e do pescoço. O trabalho avaliou 121 artigos e a maioria dos estudos demonstrou que o tratamento de radiofrequência de acne, cicatrizes ou rimas faciais teve classificações positivas de melhora subjetiva. Estudos objetivos demonstraram redução da acne, diminuição das cicatrizes, efeito elevação, melhora na elasticidade e colágeno, alterações volumostricas de gordura e redução de rugas.

Para contrabalancear os pontos de vista Wakade (2016) publicou um Estudo Comparando a eficácia da radiofrequência monopolar e cascas de ácido glicólico no rejuvenescimento facial da pele envelhecida usando histopatologia e sonografia ultrabiomicroscópica (UBM), foi um estudo baseado em evidências no qual ele concluiu que a radiofrequência e cascas químicas de ácido glicólico apresentaram eficácia igual no tratamento do rejuvenescimento facial.

E qual linha você segue Rafa?

Olha a minha proposta é inflamar o bastante para direcionar, não lesionar em excesso para não gerar sinalizações secundárias, a rádio fraciona, o microagulhamento, a modulação com ozônio são as verdade que tenho praticado, mas me conta você, qual das linhas de pensamento você segue?

Referências:
Comentário: Radiofrequência avançada para rejuvenescimento facial | Cirurgia Plástica Facial & Medicina Estética (liebertpub.com)
Avaliando a eficácia e a segurança da radiofrequência para rejuvenescimento facial e pescoço: Uma revisão sistemática – PubMed (nih.gov)
Um estudo comparando a eficácia da radiofrequência monopolar e cascas de ácido glicólico no rejuvenescimento facial da pele envelhecida usando histopatologia e sonografia ultrabiomicroscópica (UBM) – Um estudo baseado em evidências – PubMed (nih.gov)

Rafael Ferreira

Para baixar as informações e prescrições, preencha os dados abaixo

Clique no botão e faça o download do arquivo